Postagens

Ela nunca tinha gozado

Imagem
  Tudo começou com um match em um app de namoro, eu tinha 20 anos e ela 37 .. começamos a conversar e ela me falou que estava separada e que não se sentia realizada sexualmente, que nunca tinha gozado, o ex marido não chupava sua buceta e que queria se sentir desejada por um homem. Naquele momento eu decidi que a faria gozar muito! Passou uns dias e ela me chamou para ir em seu apartamento, quando cheguei no condomínio, fui em seu apartamento e quando eu toquei a campainha ela estava usando um roupão branco, sem nada por baixo, na hora já a agarrei e beijei com vontade. Fui passando a mão pelo seu corpo, apertando seu rabo e falando em seu ouvido que eu a faria de minha putinha safada naquele dia, e que a faria gritar e gozar. Ficamos muito tempo nos beijando, naquela mão boba gostosa, passei a mão em sua buceta e estava meladinha de tanto tesão, fui beijando seus peitos e sua barriga até chegar em sua buceta, comecei a lamber bem devagar, chupando seu grelinho bem de leve, queria a ve

A Foda que eu dei de aniversário

Imagem
  Hoje vou contar uma tradição que eu tenho, na verdade, um episódio dessa tradição. Desde que completei 19 anos, todo aniversário eu comemoro escolhendo alguém para presentear, vamos ao motel e meu desejo é que seja a noite mais satisfatória possível, para as duas partes. E foi assim que aconteceu esse ano, como todos os outros. Escolhi quem seria o felizardo da vez, um cara com quem já tinha ficado algumas vezes. Eu ainda não sabia direito do que ele gostava ou o que iria querer fazer comigo, o que me deixava ansiosa e confabulando coisas. Mandei alguns vídeos pra ele de coisas que provavelmente gostaria que ele fizesse em mim, na esperança que ele me contasse um pouco de seus desejos também, mas ele nada me disse, parecia que ele queria me torturar Perto da data ele começou a me enviar presentinhos que me deixavam ansiosa. Em um dia me mandou um vibrador, no outro um nude daqueles bem conceituais, que só te instiga mais, depois, me mandou uma venda e me mostrou as algemas que usaria

Sodomizei meu maridinho

Imagem
  Sempre acessávamos sites de contos eróticos e eu percebia que meu marido Junior, ficava muito excitado quando líamos contos eróticos de esposas com outros homens. Isto também me chamava muita atenção, pois eu tinha uma grande curiosidade para saber como era ser penetrada por outro homem. Meu nome é Adriana tenho vinte e cinco anos e somos casados há seis com um filhinho da mesma idade. Casamos muito novos devido eu ter ficado grávida do meu único filho. Nossa vida sexual sempre foi muito boa, desde o início. Ele foi o meu único homem e sempre nos demos muito bem. Mas, o tempo passou, passamos por momentos bons, outros ruins e como todo casal, caímos na rotina. Casa, trabalho, filho, trabalho, marido, trabalho, trabalho e sexo. Depois que começarmos a ler tais contos, nossa vida sexual começou a mudar. Meu marido transava comigo e sei que pensava que outro estava na cama também. Eu também me imaginava dando para outro homem com meu marido presente. Eu tive uma educação muito repressor

O sorriso: beijo e oral

Imagem
Iniciamos uma conversa, e logo me vi passando o whats a essa pessoa.. Entre as varias  conversas que aconteceram no whatsapp, eu percebo que minha rola, já estava latejando querendo conhecer essa pessoa que me deixava arfando, que fazia eu me tocar de vontade de penetrá-la, eu olhava sua foto de perfil, toda sorrindo com os braços abertos, parecia que vinha me abraçar….. e eu queria muito sentir seu abraço, sentir seu coração, sentir seus atributos  sexuais enroscando meu corpo. Marcamos de nos ver, quando eu a vi, sentada num pub, eu queria tirar minha rola para fora da calça e mostrar a ela como eu estava a desejando, olhei aquele sorriso, senti minha calça ficar apertada, eu conseguia sentir minhas veias pulsar e o sangue correr pelas veias, minha ereção era notável, estava com receio que alguém visse, me aproximei da mesa e logo sentei, disfarcadamente, coloquei minha mão dentro da minha calca e ajeitei minha rola, e pude sentir nas pontas dos meus dedos uma baba, uma gosma, eu já

Ter fetiche sexual é algo normal?

Imagem
  Um  fetiche sexual  é uma atração sexual intensa e específica por um objeto, parte do corpo, material ou situação que não é considerado convencionalmente erótico ou sexualmente estimulante para a maioria das pessoas. O fetiche sexual envolve uma fixação ou preferência por determinados elementos que são considerados indispensáveis para a excitação sexual e o prazer. Diante disso, e m 1905, Sigmund Freud publicou  “Os três ensaios para uma teoria sexual”  e nele pudemos ter acesso a um de seus mais especiais estudos. A curiosidade acerca do tema Daquela época até os dias de hoje muita coisa mudou. Atualmente,  falar sobre fetiche sexual  desperta muito interesse na sociedade , que busca cada vez mais explorar o tema. Inclusive, é possível encontrar filmes e obras best-seller com essa temática, como foi o caso do livro  “50 tons de cinza”. Nesse sentido, as pessoas estão cada vez mais querendo descobrir sobre a sexualidade delas, entretanto,  muitas vezes não sabem como fazer isso.  Os

Uma breve história do vibrador

Imagem
Os vibradores são populares: mais de 52% das mulheres nos Estados Unidos já usaram um, e muitos homens também os usam (1-3). Mas de onde eles vieram? Você pode ter ouvido a história de como um médico inventou o vibrador como um tratamento para a histeria. Desculpe ser desmancha prazeres, mas não é bem assim que aconteceu. Há muitos mitos e desinformação em torno da história dos vibradores no Ocidente, começando com Cleópatra. Foi Cleópatra quem inventou o vibrador? Não é bem assim. Em sua Enciclopédia de Práticas Sexuais Incomuns, de 1992, Brenda Love afirmou que Cleópatra (69-30 a.C.) usava uma abóbora cheia de abelhas para estimular seus genitais, semelhante a um vibrador (4). Essa ideia foi repetida e reimpressa em muitas histórias populares de vibradores. A historiadora Helen King diz que não há evidências de que isso tenha realmente acontecido. O livro do amor não cita qualquer fonte, e não há escritos antigos ou achados arqueológicos que mencionem a suposta invenção de Cleópatra.